Brasão

Câmara de Vereadores
de Santo Ângelo

Câmara de Vereadores de Santo Ângelo.

Quarta, 28 de março de 2018

Neste ano, projeto “Quebrando o Silêncio” terá abrangência ainda maior em Santo Ângelo

Estiveram reunidos na manhã da última terça feira, 27, no gabinete da presidência do Legislativo Municipal, o diretor da Escola Adventista, David Martins, o vereador Adolar Queiroz e a Secretária de Assistência Social Trabalho e Cidadania, Jaqueline Possebom. O grupo, que foi recebido pelo Presidente da Câmara, vereador Everaldo de Oliveira, tratou sobre o cronograma de ações da campanha "Quebrando o Silêncio". 

De acordo com as lideranças, para este ano estão previstas uma série de iniciativas que vão ampliar a abrangência do projeto, que visa, sobretudo, combater o abuso e a violência doméstica.

Conforme destacou o Presidente da Câmara Municipal, o parlamento já trabalha na busca por mais parceiros. “A ideia é mobilizar um número maior de entidades para que ainda mais crianças, jovens e adolescentes tenham acesso a esta importante campanha, que, de forma educativa, apoia e orienta as vítimas a buscarem ajuda”, explicou Everaldo.


COMISSÃO
Uma comissão composta por lideranças municipais e entidades locais já trabalha para a efetivação das ações previstas. Nesse ano, a grande passeata deve ser realizada no dia 25 de agosto. Antes disso, diversas intervenções estão programadas junto aos educandários de Santo Ângelo. Além dos profissionais da área de segurança, psicólogos e pedagogos, alunos da Escola Adventista trabalham na preparação de peças teatrais que alertam sobre exploração sexual e violência doméstica. 


O PROJETO
“Quebrando o Silêncio” é um projeto de prevenção ao abuso e a violência doméstica, promovido anualmente pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em oito países da América do Sul. No ano passado, a campanha passou a fazer parte do Calendário Oficial de Eventos de Santo Ângelo. Desde então, inúmeras atividades, envolvendo diversos segmentos da comunidade, foram desenvolvidas.

12 de julho de 2019
Cortes sugeridos pelo presidente da Câmara, vereador Maurício Loureiro (PDT), e discutido com líderes, pode gerar uma economia de até R$ 400 mil por legislatura